quinta-feira, 9 de abril de 2009

A TODOS DESEJO UMA PÁSCOA FELIZ.

"A Páscoa sempre representou a passagem de um tempo de trevas para outro de luzes, isto muito antes de ser considerada uma das principais festas da cristandade.
A palavra "páscoa" – do hebreu "peschad", em grego "paskha" e latim "pache" – significa "passagem", uma transição anunciada pelo equinócio de primavera (ou vernal), que no hemisfério norte ocorre a 20 ou 21 de Março e, no sul, em 22 ou 23 de Setembro. De facto, para entender o significado da Páscoa cristã, é necessário voltar à Idade Média e lembrar dos antigos povos pagãos europeus que, nesta época do ano, homenageavam Ostera, ou Esther – em inglês, Easter que quer dizer Páscoa. Ostera (ou Ostara) é a Deusa da Primavera, que segura um ovo em sua mão e observa um coelho, símbolo da fertilidade, pulando alegremente em redor de seus pés nus. A deusa e o ovo que carrega são símbolos da chegada de uma nova vida. Ostara equivale, na mitologia grega, a Persephone. Na mitologia romana, é Ceres. Os pássaros estão cantando, as árvores estão brotando. Surge o delicado amarelo do Sol e o encantador verde das matas. A celebração de Ostara, comemora a fertilidade, um tradicional e antigo festival pagão que celebra o evento sazonal equivalente ao Equinócio da primavera. Algumas das tradições e rituais que envolve Ostara, inclui fogos de artifícios, ovos, flores e o coelho. Ostara representa o renascimento da terra, muitos de seus rituais e símbolos estão relacionados à fertilidade.
Ela é o equilíbrio quando a fertilidade chega depois do inverno. É o período que a luz do dia e da noite têm a mesma duração.
Ostara é o espelho da beleza da natureza, a renovação do espírito e da mente. Seu rosto muda a cada toque suave do vento. Gosta de observar os animais recém-nascidos saindo detrás das árvores distantes, deixando seu espírito se renovar. Ostara foi cristianizada como a maior parte dos antigos deuses pagãos. Os símbolos tradicionais da Páscoa vêm de Ostara.
Os ovos, símbolo da fertilidade, eram pintados com símbolos mágicos ou de ouro, eram enterrados ou lançados ao fogo como oferta aos deuses.
É o Ovo Cósmico da vida, a fertilidade da Mãe Terra. Ostara gosta de verde e amarelo, cores da natureza e do sol. O Domingo de Páscoa é determinado pelo antigo sistema de calendário lunar, que coloca o feriado no primeiro Domingo após a primeira lua cheia ou seguindo o equinócio. A Páscoa foi nomeada pelo deus Saxão da fertilidade Eostre, que acompanha o festival de Ostara como um coelho. Esta a razão do o símbolo do coelho de páscoa na tradição cristã. O coelho é também um símbolo de fertilidade e da fortuna. A Páscoa foi adaptada e renomeada pelos cristãos, do feriado pagão Festival de Ostara, da maneira que melhor lhes convinha na época como a tradição dos símbolos do Ovo e do Coelho. A data cristã foi fixada durante o Concílio de Nicéa, em 325 d.C., como sendo "o primeiro Domingo após a primeira Lua Cheia que ocorre após ou no equinócio da primavera boreal, adoptado como sendo 21 de Março. A festa da Páscoa passou a ser uma festa cristã após a última ceia de Jesus com os Apóstolos, na Quinta-Feira Santa.
Os fiéis cristãos celebram a ressurreição de Cristo e sua elevação ao céu. As imagens deste momento são a morte de Jesus na cruz e a sua aparição. A celebração sempre começa na Quarta-feira de cinzas e termina no Domingo de Páscoa: é a chamada Semana Santa.
Para entendermos a Páscoa cristã, vamos, sinteticamente, buscar sua origem à festa judaica de mesmo nome.
O ritual da Páscoa judaica é apresentado no livro do Êxodo (Ex 12.1-28). Com essa festa, a mais importante do calendário judaico, o povo celebra o facto histórico da sua libertação da escravidão do Egipto acontecido há 3.275 anos, cujo protagonista principal foi Moisés no comando de seu povo pelo mar vermelho e deserto do Sinai. O evento ÊXODO/SINAI compreende a libertação do Egipto, a caminhada pelo deserto e a aliança no monte Sinai (sintetizado nos dez Mandamentos dados a Moisés).
De evento histórico torna-se evento de fé.
A passagem do mar vermelho foi lembrada como Páscoa e ficou como um marco na história do povo hebreu.
Todos os anos, na noite de lua cheia de primavera, os hebreus celebravam a Páscoa, com o sacrifício de cordeiro e o uso dos pães ázimos (sem fermentos), conforme a ordem recebida por Moisés (Ex 12.21.26-27; Dt 12.42). Era uma vigília para lembrar a saída do Egito (forma pela qual tal facto era passado de geração em geração – Ex 12.42; 13.2-8). Essa celebração ganhou também dimensão futura com o passar do tempo. E quando novamente dominados por estrangeiros, celebravam a Páscoa lembrando o passado, mas pensando no futuro, com esperança de uma nova libertação, última e definitiva, quando toda escravidão seria vencida, e haveria o começo de um mundo novo há muito tempo prometido. A celebração da Páscoa reunia três realidades distintas:
passado: o acontecimento histórico da libertação do Egipto quando Israel se tornou o povo de Deus; presente: a memória ritual (=celebração) do facto passado levava o israelita a ter consciência de ser um ‘libertado’ de Javé (=Deus), não somente os antepassados, mas o sujeito de hoje (Dt 5.4); futuro: a libertação do Egipto era símbolo de uma futura e definitiva libertação do povo de toda a escravidão. Libertação esta que seria a nova Páscoa, marcando o fim de uma situação de pecado e o começo de uma nova era.
Jesus oferecendo seu corpo e sangue assume o duplo sentido da páscoa judaica: sentido de libertação e de aliança. E ao celebrar a Páscoa (Mt 26,1-2.17-20), Ele institui a NOVA PÁSCOA, a Páscoa da libertação total do mal, do pecado e da morte numa aliança de amor de Deus com a humanidade.
A nova Páscoa não era uma libertação política do poder dos romanos, como os judeus esperavam.
Poucos entenderam que o Reino de Deus transcende o aspecto político, histórico e geográfico.
Hoje, ao celebrarmos a Páscoa, não o fazemos com sacrifício do cordeiro e alimentando-nos com pães sem fermento, pois Cristo deu-se em sacrifício uma vez por todas (Jo 1.29; 1Cor 5.7; Ef 5.2; Hb 5.9), como Cordeiro Pascal, como prova e para nos libertar de tudo aquilo que nos oprime."
Autoria: José Luiz C. Duarte

30 Comentários:

Blogger Mário Relvas disse...

Passo a agradecer e a retribuir os votos de uma Páscoa Feliz e em Fé!

abraço

9 de abril de 2009 às 03:11  
Blogger Carminda Pinho disse...

Também eu te desejo que tenhas uma Páscoa feliz.
Obrigada.

Beijos

9 de abril de 2009 às 03:39  
Blogger Lobinho disse...

e POR ISSO ESCREVI SOBRE ESTA PARTICULAR SEMANA...

Santa Páscoa

9 de abril de 2009 às 11:26  
Blogger MGomes disse...

Uma Páscoa muito feliz também para ti, e que as cores mais belas da vida te acompanhem sempre!


Bjo

9 de abril de 2009 às 12:21  
Blogger rosa dourada/ondina azul disse...

Páscoa, é um momento de Fé, de Renascimento e ao mesmo tempo um processo cósmico, além de histórico.

Feliz Páscoa!!!

Beijo com amizade e carinho,

9 de abril de 2009 às 12:37  
Blogger Rosana disse...

Olá Maria,
Que bela surpresa para mim receber uma mensagem sua e ver que seu blogue está novamente ativo. Nunca havia lido nada tão completo sobre a Pascoa, lindo texto!
Eu não tenho conseguido atualizar o mãe global e o azul turquesa, outro blogue que tentei dar continuidade. Vou ter bebê em poucos dias, por isso a falta de tempo. Mas vou procurar estar sempre por aqui, gosto muito do que você escreve. Foi uma excelente surpresa!
Feliz Páscoa!
Um grande beijo,
Rosana

9 de abril de 2009 às 12:45  
Blogger Vieira Calado disse...

Um Páscoa Feliz


também para si!

9 de abril de 2009 às 14:17  
Blogger São disse...

Foi muito interessante e útil aqui partilhares connosco esta informação importante.
Para ti, amiga, uma Páscoa de paz , saúde e amor com quem te ama.

9 de abril de 2009 às 14:37  
Blogger Agulheta disse...

Maria. Belo texto de alguma reflexão sobre a época,quero expressar a minha amizade desejando boa Páscoa e tudo de bom.
Beijinho da Lisa

9 de abril de 2009 às 17:11  
Blogger *Lisa_B* disse...

Obrigada pela presença
Gostei muito do texto parabéns ao autor que assim informa tão bem sobre a Páscoa e a quem o postou aqui.
Ando de facto triste ou angustiada, não sei se será renovação... a ser...espero que este ciclo passe rápido pois não aguentarei muito mais embora me considere forte, há peso demais por tempo infinito a meu sentir de mãe e mulher.
Votos de uma Santa Páscoa

9 de abril de 2009 às 19:40  
Blogger Avelaneira Florida disse...

Maria Faia,
muito obrigada pela tua visita na minha Mesa...

que bom re-encontrar-te!!!!!!

Desejo que tudo esteja bem contigo e com os teus.
Que os dias sejam repletos de Força e Alegria!!!!!

BJKAS!!!!!

9 de abril de 2009 às 21:31  
Blogger Bipede Implume disse...

Este texto devia ser lido nas escolas, para que depois, em crescidos não façam comentários patetas àcerca do coelho da Páscoa e dos ovos.
Parabéns ao autor e a ti, querida Maria Faia que no-lo dás a conhecer.
Uma Páscoa muito feliz para ti minha amiga.
Beijinhos.

9 de abril de 2009 às 23:00  
Blogger elvira carvalho disse...

Agradeço e retribuo os votos de uma Santa e feliz Páscoa.
Infelizmente a recente perda do meu pai, e o debilitado estado de saúde da minha mãe, não dão para grande alegria.
Um abraço

9 de abril de 2009 às 23:44  
Blogger victor simoes disse...

Olá Maria, gostei muito do teu texto sobre a Páscoa.Esta reflexão sobre a Páscoa transporta-nos ao nosso Eu, e leva-nos à introspecção a meditar sobre o sentido da vida!

Agradeço e retribuo os votos de uma Boa Páscoa, para ti e para os teus.

Um abraço

10 de abril de 2009 às 00:47  
Blogger aramis disse...

Minha querida amiga, excelente esta meditação e reflexão....
Que nos consigamos libertar com ELE de tudo aquilo que nos oprime!
Muitos beijinhos para ti e para o teu filhote.
Uma Santa e Feliz Páscoa para vós!

10 de abril de 2009 às 01:58  
Blogger De Amor e de Terra disse...

Minha querida menina, bom dia.
Que bom que tenhas deixado aqui toda essa explicação (ou explicações).
Agradeço a tua visit e também eu te desejo um Páscoa feliz.
Um beijo enorme e votos de Paz e Luz.

Maria Mamede

10 de abril de 2009 às 07:40  
Blogger Luís Galego disse...

Uma excelente Páscoa e o agradecimento por este texto alusivo...

10 de abril de 2009 às 11:52  
Blogger SILÊNCIO CULPADO disse...

Que esta Páscoa, como tu tão bem descreves, seja efectivamente uma passagem para a luz.
Para ti muitas felicidades.

PÁSCOA FELIZ.


Abraço

10 de abril de 2009 às 20:35  
Blogger C Valente disse...

O coelho da Pascoa anda á solta
Por muitas casa ele vai entrar
O ovo de chocolate oferecer
A todos Feliz Pascoa desejar

Pascoa Feliz com saúdações amigas

10 de abril de 2009 às 22:08  
Blogger C Valente disse...

O coelho da Pascoa anda á solta
Por muitas casa ele vai entrar
O ovo de chocolate oferecer
A todos Feliz Pascoa desejar

Pascoa Feliz com saúdações amigas

10 de abril de 2009 às 22:11  
Blogger Maria disse...

Só agora dei conta que tinha regressado à blogosfera...
Boa Páscoa para ti!

Um abraço
(com saudades)

11 de abril de 2009 às 01:02  
Blogger Mário Margaride disse...

Querda amiga

Desejo para ti e para os teus entes queridos, um feliz Páscoa, e um excelente fim de semana!

Em meu nome e da Rosana, agradeço a visita e comentário, ao nosso espaço de poesia em dueto.

Beijinhos

Mário

11 de abril de 2009 às 01:11  
Blogger Brancamar disse...

Olá Maria Faia,

Obrigada pela informação Histórica tão completa que aqui deixaste. Muito sinceramente nunca percebi a associação de ovos e coelhos à Páscoa, a minha informação Pascal era essencialmente Judaico-Cristã, como aliás a da maior parte de nós, embora também associada ao equinócio da Primavera. Aprende-se até morrer e doravante não vou mais questionar os coelhinhos, que é animal de que até gosto muito.
Obrigada pela visita.
Desejo-te uma Boa Páscoa.
Beijinhos

11 de abril de 2009 às 01:18  
Blogger Isamar disse...

Uma Páscoa feliz, amiga! Que este tempo de reflexão e renovação nos traga caminhos mais seguros, alegres, prometedores de um futuro melhor.

Bem-hajas!

Mil beijinhos

11 de abril de 2009 às 11:54  
Anonymous c valente disse...

cuidado com as amendoas. Santa Pascoa . Saudações amigas

11 de abril de 2009 às 20:42  
Blogger Jorge P.G disse...

Bom Domingo de Festa!

Abusar da alegria, não da alimentação!

Um abraço.

12 de abril de 2009 às 13:34  
Blogger efvilha disse...

Sob a Luz da Fé, toda páscoa é verdadeira, e ela é real no universo das almas que se entregam à Luz e à Paz.
Então, a ti querida amiga, Beijo de Luz e de Paz.
Páscoa de felicidades.

12 de abril de 2009 às 15:35  
Blogger O Guardião disse...

Maria Faia
Espero que a Páscoa tenha sido boa e agradeço umas quantas novidades para mim, que este texto me trouxe.
Cumps

12 de abril de 2009 às 19:48  
Blogger poetaeusou . . . disse...

*
nas passagens
desta vida,
passei aqui e gostei,
,
Marés de Paz, deixo,
,
*

12 de abril de 2009 às 21:00  
Blogger O Guardião disse...

A resposta à questão colocada já está na caixa de comentários, porque o texto não foi suficientemente claro.
Cumps

13 de abril de 2009 às 10:59  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial