sexta-feira, 20 de março de 2009

O PAPA EM ANGOLA

Estimados Amigos,
Hoje, trago-vos um Editorial do Jornal de Leiria, cujo autor, Homem Livre e de Bons Costumes, descreve de forma sublime (em minha opinião), a insensatez de quem deveria defender o bem da Humanidade mas, fruto de uma cegueira castrante, acaba por conduzir os menos esclarecidos à dor, sofrimento e miséria.
Agradeço, pois, ao meu Amigo Dr. José Ribeiro Veiria, o seu assentimento para publicação do seu Editorial no Querubim Peregrino.
" Depois de ter percorrido outros países africanos, voltará a condenar o uso do preservativo em países onde a Sida e outras doenças congéneres dão cabo da vida a milhões de pessoas, com consequências sociais gravíssimas.
A Igreja de Roma sustentada no seu conservadorismo e baseada no dogma e no pressuposto de que o Papa continua ainda a ser o sucessor de Cristo na terra, fomenta, com essas atitudes, o aparecimento doutras doutrinas, seitas ou religiões com cada vez mais adeptos, mesmo quando dirigidas por mal feitores ou traficantes da palavra e do uso abusivo dos nomes de Deus e de Cristo.
Percebo que a Igreja continue a condenar o uso do preservativo se quiser continuar a defender que a vida se salva com o sofrimento, mostrando às crianças Jesus Cristo como alguém que condena e castiga em vez de o interpretar como um Homem que pregou principalmente a compreensão e o perdão.
Cristo foi, também, nessa época um revolucionário que terá lutado contra a ocupação romana, defendendo os mais desfavorecidos e oprimidos, por essa e outras circunstâncias de então.
A Igreja tem-se esquecido da mensagem de humanidade e humildade, de solidariedade e de fraternidade que Cristo pregou.
Quero crer que se cá voltasse agora e visse como era entendida a sua palavra pela Igreja Católica, que o diz representar, se empenharia numa nova cruzada a favor da liberdade com os mesmos princípios e valores, defendeu há dois mil anos.
Era bom que não fosse preciso usar o preservativo nas relações sexuais. É um “intermediário” que trava a beleza a uma prática que se desejaria natural e destinada à procriação e à satisfação própria da condição humana.
Não será o seu uso lascivo um sinal de progresso civilizacional mas, pior do que proibi-lo, é diabolizá-lo e condenálo. A Igreja, devia sobre a matéria calar-se, ou ter um discurso de compreensão e perdão.
A linguagem do catolicismo tornou-se, em muitos casos contrária ao progresso, alheia ao tempo e adversa à tolerância e à compreensão.
Tenho pena que assim seja porque muitos como eu foram educados de forma cristã, respeitando ainda a concepção humanista e fraterna que a doutrina lhes ensinou.
Ao prosseguir assim, seja na Europa, na Ásia, na África ou nas Américas, a Igreja conseguirá ainda atrair multidões, particularmente visíveis nas visitas dos Papas, especialmente entre as gentes mais pobres e fragilizadas que a alguma coisa se terão que agarrar na esperança de, por essa via, ver reduzido o sofrimento das desigualdades sociais a que parecem estar condenadas, afastando, porém, muitos outros cada vez mais disponíveis para aceitar outras práticas de espiritualidade. "
Autor: José Ribeiro Vieira,
in "Jornal de Leiria", de 19 de Março

12 Comentários:

Blogger Zé Povinho disse...

Não sei como é que há quem possa estar contra o uso do preservativo, e de acordo com Bento XVI, mas eles lá sabem!...
Esta mensagem, neste continente é criminosa, e nem é preciso conhecer os costumes e modos de vida, basta olhar para os números de pessoas infectadas para ter uma ideia do tamanho do disparate.
Bom fim-de-semana
Abraço do Zé

20 de março de 2009 às 19:05  
Blogger São disse...

Parabéns, Maria, a ti e a quem escreveu tão lúcida análise.

Para mim, o grande traidor de Cristo não foi Judas, não, mas sim Paulo, o findador da Igreja que pariu essa coisa hedionda chamada Vaticano!

Bom fim de semana, linda!


Ah, espero sinceramente que o teu regresso~seja para nos dares a alegria de ficares mesmo entre nós!

20 de março de 2009 às 19:45  
Blogger Isamar disse...

"A Igreja tem-se esquecido da mensagem de humanidade e humildade, de solidariedade e de fraternidade que Cristo pregou."

Se Cristo voltasse ao mundo poderia constatar quanto andam afastados da sua mensagem aqueles que se dizem seus representantes na Terra.Será que vamos voltar ao tempo das grandes epidemias esquecendo que prevenir é remediar?
Não percebo como pode alguém com esta responsabilidade emitir mesagens deste jaez nos tempos que correm.

Beijinhos

Bem-hajas!

22 de março de 2009 às 10:11  
Blogger De Amor e de Terra disse...

Minha querida Maria, obrigada pela visita.
Para além de alguns problemas no PC., vou andando um pouco afastada (não completamente) de quase tudo, escondida no meu ermitério, dele saindo somente quando e pelo que é necessário.
Concordo com o comentário da Isamar e faço minhas as suas palavras.
Beijos Amiga.

Maria Mamede

22 de março de 2009 às 19:12  
Blogger Meg disse...

Maria Faia,

Eu queria dizer tantas coisas, mas tenho-as atravessadas.
Olha, estou de acordo com todos os comentários anteriores e particularmente com o da São.
O Vaticano é uma ofensa que chega a ser criminosa.
E não me falem do Papa em África, aliás, no luxo de Luanda.
Porque é que ele não vai para o mato?
Vês porque não gosto de falar nisto?

Um abraço

22 de março de 2009 às 21:00  
Blogger Jorge P.G disse...

Neste editorial está tudo o que eu poderia dizer quanto ao papel nefasto da igreja católica na luta contra a SIDA.

É mesmo incrível como podem veicular estas ideias homens que se dizem representar a palavra de Cristo na Terra! Só um cego não vê que não se conhece outro caminho melhor do que o uso do preservativo para evitar males ainda maiores.
Péssimo serviço à Humanidade está prestando este Papa frio e afastado das gentes pobres e ignorantes!

Um abraço.

23 de março de 2009 às 19:15  
Blogger elvira carvalho disse...

Passei só para deixar um abraço, já que o tempo e disposição não me permitem mais.

25 de março de 2009 às 22:59  
Blogger Bipede Implume disse...

Um texto muito lúcido com o qual concordo plenamente.
Não se percebe bem, quando muitos padres e pessoas ligadas à religião católica advogam o uso do preservativo.
Beijinho e bom fim de semana.
Isabel

27 de março de 2009 às 15:52  
Blogger tinta permanente disse...

Excelente ler, ouvir, mais uma voz às muitas que se vão juntando na praça da Solidariedade Humana. Se me é permitido, em 2007, a propósito de uma ida a Fátima, escrevi:
' A Igreja, por seu lado, tem o passo desacertado com o Tempo, com a História e com a Evolução. Mais por necessidade (leia-se sobrevivência) do que por inércia ou outra razão qualquer. O homem, outrora, ainda podia ser emparedado pelas concepções de Família, pelas ameaças de excomunhão ou tão prosaicamente pelos temores do Inferno. Hoje, o homem não procura Deus pela mão da Igreja; procura-O pelo seu próprio pé. Um conceito viciado de Deus, como a Igreja o ensina, faz dEle um beligerante cabo-de-guerra ou um juiz desapiedado que vê ‘pecado mortal’ por todos os lados e faz da vida uma corda tensa nas franjas do inferno. Uma simples falta dominical à missa é um passo gigantesco para o fosso terrível de um pecado capital. A noção de ‘pecado mortal’ está tão doente como qualquer outra noção da Teologia. A prática da Igreja rasga fossos, cada vez mais profundos, entre os seus dogmas e a realidade do seu rebanho. O celibato dos padres é a pedra de toque da mais patética falta de caridade por parte da Igreja, se atentarmos na forma como ela trata os seus ex-padres. Os casos mais recentes do aborto e do uso do preservativo, são outros exemplos eloquentes. Aos quais se juntam, de forma escandalosamente incómoda, as carências de toda a espécie, um pouco por todo o mundo, em contraponto com as imensas manifestações de riqueza material que a Igreja espalha, também, por todo o lado.


abraços!

27 de março de 2009 às 17:50  
Blogger São disse...

Esperando que não tivesses desaparecido de novo, aqui te deixo , no meu abraço, desejo de bom fim de semana.

28 de março de 2009 às 00:55  
Blogger Goldfinger disse...

Anda qualquer coisa a pairar na cabeça destes "tolos". Defendem a vida mas depois condenam-na. Banem da Igreja uma criança de seis anos que abortou porque foi violada....
Será que ando enganado?
Enganado não andarei porque infelizmente desde pequenino que os conheço muito bem. O que ando é confuso...
Assim devem ter muitos amigos...

Um abraço e um óptimo fim-de-semana.

E seja bem reaparecida!

GOLDFINGER

28 de março de 2009 às 01:09  
Blogger tulipa disse...

Quero dizer que, estive junto à Tânia nos seus últimos minutos de vida; digo-te que ela partiu em Paz, muito calmamente a alma dela voou para junto de seus Avós e Amigos que já partiram.
Acabou-se o sofrimento.
Disse-lhe isso tudo ao ouvido, além de outras coisas. Dei-lhe muitos beijinhos e fiz-lhe festinhas e, ainda tenho o cheiro dela nas minhas mãos, no meu rosto; aquele cheiro dos cremes que usavam para a massajar diariamente, várias vezes ao dia. Saí de junto dela por volta das 18h 40m, e ela ficou com uma expressão doce no rosto.
Agora, ela precisa que rezemos pela alma dela.
As últimas pessoas que estiveram com ela, foi o namorado que saiu uns 30 minutos antes e eu fiquei junto dela, era algo que já tinha pedido a Deus, que na hora da partida, ela não estivesse só, sem alguém que a amasse e Deus fez-me a vontade.

TÂNIA DESCANSA EM PAZ MEU ANJO.

28 de março de 2009 às 14:00  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial