segunda-feira, 26 de novembro de 2007

MUNDOS POLITIQUEIROS...

Recebi, de um Amigo, um texto que demonstra bem a hipocrisia barata com que, frequewntemente, alguns políticos, nacionais e não só, gerem as suas carreiras, não norteados pelo bem público, mas sim pelos seus próprios interesses individuais.
Com o devido consentimento desse meu Amigo, deixo aqui o referido texto, partilhando convosco o seu conteúdo.
Obrigado Daniel.
" Foi preciso chegar ao fim de uma entrevista congratulatória (ontem, ao DN e à TSF) para que Durão Barroso fosse questionado sobre a Guerra do Iraque e confessasse: "Houve informações que me foram dadas, a mim e a outros, que não corresponderam à verdade".
Ouvir estas as declarações, bem como as dos restantes protagonistas da Cimeira dos Açores, é como ouvir as contraditórias desculpas de um grupo de rapazolas sobre uma noitada que correu mal. Cada um se justifica com os outros. Durão diz agora que só organizou o encontro porque os espanhóis lho pediram. É curioso: na altura toda a gente viu as piruetas que deu para poder aparecer na fotografia.
É embaraçoso para Durão, e mesmo escusado. Nós sabemos hoje muito mais do que as suas justificações insinuam. O memorando de Downing St., publicado pelo “Times” em 2005, demonstra que quase um ano antes da guerra George W. Bush já tinha decidido invadir o Iraque.
As informações e os factos iriam ser "amanhados" (“fixed around” no original) para justificar a decisão. Os seus aliados britânicos sabiam.
As actas da reunião de Crawford entre Bush e Aznar, que o “El Pais” publicou recentemente, demonstram que um mês antes da guerra Bush recusara a ideia de Saddam abdicar e exilar-se no Egipto. Aznar sabia.
Sabemos hoje que Saddam poderia ter sido contido de muitas formas, já desde os anos 80, e que esta guerra deveria ter sido evitada. Perante isto, Durão diz que "agora é fácil". Pelo contrário, Sr. Durão: não foi fácil então ser contra a guerra e não é fácil ainda hoje - desde "fascistas" a "apoiantes de Saddam" e a "pró-terroristas" já fomos chamados de tudo -, mas foi demasiado fácil, isso sim, ir na onda e cuidar da carreira.
Se falo em carreira é porque Durão diz na mesma entrevista que não gosta da expressão "carreira política". Declarações portentosas vindas de quem, sobre a Guerra do Iraque, diz ainda o seguinte:
"Não temos que estar de forma nenhuma arrependidos da posição que tomámos. Portugal não perdeu nada, também na Europa, com isso. Repare, depois das decisões que tomei, fui convidado a ser presidente da Comissão Europeia e tive o consenso de todos os países europeus. O que demonstra que o facto de Portugal ter tomado naquela altura aquela posição não prejudicou em nada, em nada, a imagem de Portugal junto dos seus parceiros europeus."
Durão Barroso pode não gostar da expressão, mas faz da sua carreira política a medida de todas as coisas. Aquelas frases sugerem bem como funciona a sua cabeça e a de tantos políticos como ele. Portugal não tem que estar arrependido do apoio à invasão do Iraque. Porquê? Porque "não perdeu nada com isso". Não perdeu o quê: honestidade, credibilidade, autoridade moral? Nada de tais coisas; foi a nossa "imagem" que não sofreu. E como sabemos que a nossa "imagem" não sofreu? Porque a carreira de Durão o "demonstra".
Esta é a mais pura inversão moral. A carreira de um indivíduo é a medida da imagem de um país. A imagem de um país é mais importante do que o seu comportamento. E a opinião dos parceiros - em geral mais ricos, poderosos e brancos - é mais importante do que o destino de gente que é menos qualquer dessas três coisas.
Muitos anos, muitos jornais e muitas crónicas depois, pergunto-me se será demasiado ter uma palavra sobre os 500.000 mortos e 4.000.000 de refugiados desta guerra. Mas afinal, os portugueses não devem preocupar-se com isso, porque Durão Barroso veio depois a ser nomeado para um cargo importante. Mais alguma coisa interessa?
".
De: Rui Tavares, Jornal Público

22 Comentários:

Blogger papagueno disse...

E o incrível é falar deste homem para Prémio Nobel da Paz. Os deuses devem mesmo andar loucos.
Beijos

26 de novembro de 2007 às 13:07  
Blogger Um Momento disse...

Minha Amiga...
Eu quando soube da "noticia" de quem provavelmente iria ser o nomeado para o nobel da Paz...
Fiquei sem pensar se ...ia rir... ou chorar...
Com toda a razao...não só os deuses devem andar loucos... mas quem faz as nomeações ...deve andar muito bem PAGO...

E agora...venho eu retribuir , partilhar contigo , não só o carinho , a Amizade, a ternura com que me senti abraçada por ti...mas todos os "Mimos" um a um... a ti , ao teu coração ...
Bem Hajas minha Amiga por existires
Um beijo sentido por tão lindo Ser...que és tu...o teu sentir
Boa e linda semana te desejo, e as tuas melhoras minha Querida Amiga:)))

(*)

26 de novembro de 2007 às 16:13  
Blogger Odele Souza disse...

O mundo dos políticos Maria Faia, não parece ser o mesmo habitado por nós, que enxergamos o que eles não querem ver à frente do nariz.E não enxergam porque não lhes convém, claro. Que eles sabem que falamos mal deles, óbvio que sabem. Mas nem se abalam. Continuemos a falar. Quem sabe um dia tudo isto não mude?. Vale tentar.

Um abraço carinhoso e uma boa semana.

26 de novembro de 2007 às 16:22  
Anonymous aramis disse...

Querida Amiga,
Ao ver este cenário na televisão com as tais cortesias do "cherne" para ficar na fotografia, lembro-me que senti uma enorme vergonha de ser portuguesa...
É triste, tudo em nome de subir e agarrar bons lugares na politica, que eu chamo de "tachos". E o pior é que, como bem sabe, a palhaçada continua sem eira nem beira...
Beijinhos e espero que esteja mais aliviada "da que não a quer largar à uns dias"...

26 de novembro de 2007 às 16:45  
Blogger Meg disse...

Pois é, Maria, e não me sai da cabeça que houve quem o indicasse para prémio Nobel da Paz! E já o disse aqui, se não me engano.

Que fazer a tanta desfaçatez?

Um abraço

26 de novembro de 2007 às 18:36  
Blogger Zé Povinho disse...

O cherne nada mesmo em águas turvas e a única alegria que deu aos portugueses foi ter ido dar uma volta, ainda que há custa deste "feito" que o devia envergonhar, se um cherne é disso capaz.
Cuidado que o homem tenta manter todas as opções em aberto, mesmo a de retornar a Portugal se for corrido da cadeira onde tem o traseiro sentado.
Abraço do Zé

26 de novembro de 2007 às 19:18  
Blogger Freyja disse...

querida amiga
hoy no te voy a decir nada del post
solo quiero darte explicaciones y disculpas por no contestarte tus saludos y correos
pero estoy pasando por un mal momento de salud, que me tiene bastante mal, es mi depresion y me doy todas las fuerzas del mundo
pero hay dias que no me deja vivir
tengo mucha fe que una vez saldre de todo esto
asi que tipo mil disculpa por no estar cerca tuyo amiga
ademas que me he ido lentamente contestastando los saludos
no te he olvidado amiga y solo te pido que sigas con la fuerza que tienes adelante luchando
es lo que yo hago cada dia
te doy las gracias por tus saludos en el blog de Freyja en su aniversario
gracias amiga por estar cerca
te dejo muchos cariños y que sea una gran semana y estes muy bien
mil besitos y gracias


besos y sueños

26 de novembro de 2007 às 19:39  
Blogger avelaneiraflorida disse...

Querida Maria Faia,

Não estamos no tradicional dia 1 de abril...pois não?????

Diz-me que sim, a bem da minha sanidade mental!!!!!

Bjks,Amiga

26 de novembro de 2007 às 23:36  
Blogger o moço da bodega™ disse...

Com vai minha amiga combativa?
Passei para lhe fazer uma visita e dizer-lhe que a política é a arte de se enlamear.

Beijos

26 de novembro de 2007 às 23:54  
Blogger Bipede Implume disse...

Querida Maria Faia
Pelo que fui lendo, todos nós estamos perplexos com todo este folclore. É lamentável. Nobel da Paz? Mas está tudo maluco?
Mas, de momento, venho só desejar-lhe uma óptima semana esperando que esteja melhor da sua gripe.
Um beijinho com muita amizade.

27 de novembro de 2007 às 00:36  
Blogger Carminda Pinho disse...

Segundo eu ouvi no programa "Eixo do mal" a questão foi-lhe posta mas não estava no "programa", pelo que ele não teve como fugir pois a entrevista foi em directo.
Eu participei na altura da invasão do Iraque, na manifestação contra, que desceu a Av. da Liberdade até ao Rossio. Na altura lá ia na manifestação aquele que hoje é o primeiro ministro. Contra a invasão e contra quem a apoiava.
Os tempos mudaram e, hoje é o que se vê e lê.
Porreiro pá! :(

Proposto Nobel da Paz? Eu não acredito, só pode ser uma anedota que anda por aí...só pode...

Beijinhos

27 de novembro de 2007 às 00:57  
Blogger Céu disse...

Querida amiga em primeiro lugar gostaria de agradecer o facto de ser um dos bloges que muito regularmente visitas, simultâneamente agradecer o Meme. Seguidamente quero pedir desculpa pelo facto de não aparecer com a regularidade que gostaria... as coisas não estão fáceis para mim... Ser esposa, mãe e trabalhadora que se afirma como competente... e ainda com a saude por vezes a trocar as voltas é complicado... porem sei de antemão que ao virar da esquina encontro sempre alguém em situações muito piores... por isso aqui estou. Beijinhos e mais uma vez obrigado voltarei assim que poder...

27 de novembro de 2007 às 15:21  
Blogger Freyja disse...

mil gracias por tus bellos saludos en Lagrimas y por sentirte cerca amiga
que todo lo tuyo este bien y estes con mucho animo y fuerza
te dejo muchos cariños y tambien mi mano amiga, gracias por estar cerca
que estes muy bien
mil besitos


besos y sueños

27 de novembro de 2007 às 21:25  
Blogger elvira carvalho disse...

A política amiga é a coisa mais corrupta, mais obscena, mais hipocrita que existe. Mas infelizmente no mundo actual, tudo engloba a política e nada se faz sem ela. Pela política zangan-se pais e filhos, separam-se marido e mulher,lutam entre si filhos dos mesmos pais...
Um abraço

27 de novembro de 2007 às 22:14  
Blogger Izelda Maia disse...

Infelizmente a hipocrisia dos políticos está em toda parte, aqui não é diferente.

Abraços.

28 de novembro de 2007 às 00:42  
Blogger Izelda Maia disse...

Estimada Maria,
obrigada pela sempre presença ao meu córrego de areia.
Sempre que recebo sua visita me alegra a alma...
Muitas vezes é tudo que precisamos, algumas palavras ditas por uma amiga ou amigo, mesmo que geográficamente estejam distantes.

Um abraço.

28 de novembro de 2007 às 00:48  
Anonymous XRéis disse...

Não sei muito bem o que fiz para que o meu nome n no comentário anterior ficasse com céu. O que não dixa de ser engraçado!!!

Quanto o Nobel só temos que refectir pois algo vai mesmo muito mal....
Mais uma vez beijinhos.

28 de novembro de 2007 às 12:28  
Blogger Bichodeconta disse...

E eu fiquei assustada.. Nem quero ainda acreditar.. A ser verdade demito-me do meu cargo de Portuguesa e vou de armas e bagagens mundo fora.. Para um sitio onde ninguem tenha ouvido falar de Durão Barroso e de Portugal..

28 de novembro de 2007 às 13:19  
Blogger São disse...

"Portugal não perdeu"?! E as pesooas iraquianas que perderam a vida, a estabilidade, o país, a esperança?!
E quer Ramos Hota que um tipo destes seja Nobel da Paz?!
POR FAVOR; digam-me que não sou eu que estou enlouquecendo!!
Boa noite!

28 de novembro de 2007 às 17:38  
Blogger Kalinka disse...

AMIGA MARIA FAIA

É IMPERDOÁVEL a minha ausência do seu blog...Não sei explicar o motivo, desânimo pela Vida, será? ando arredada dos blogs amigos...sem explicação plausível, peço desculpas.

Sei que se inicia em breve um mês que me deixa muito deprimida - Dezembro.
Não sei se leu as minhas desventuras pelo Egipto, tudo isto faz alhear-me do que é bom...acabo por ser eu quem mais perde, que fazer?

POR CÁ...cada dia que passa, as pessoas não têm tempo para NADA...no entanto, estamos a chegar a uma época do ano, a mais hipócrita do ano - parece que todos se vão lembrar de todos...rrssssssss, que raiva!!!

Eu nunca me esquecerei do País que me viu nascer:
"Cahora Bassa é nossa" foi a célebre frase que mais se ouviu ONTEM em Moçambique!!!

Beijitos.

28 de novembro de 2007 às 21:03  
Blogger Um Momento disse...

Passo para desejar um dia lindo, esperando de coração que te sintas melhor
E agora um abracinho com muito carinho e um beijo terno...em ti minha Amiga
(*)

29 de novembro de 2007 às 09:32  
Anonymous Joana Ramalho disse...

Olá!

Olá Alzira já à muito tempo que não nos falamos, queria perguntar-lhe se stava tudo bem.
E também lhe queria desejar um feliz Natal e um próspero Ano Novo.Espero que para o próximo ano consiga realizar todos os seus sonhos ou pelo menos alguns.Beijocas muito grandes para uma amiga do coração

20 de dezembro de 2007 às 17:51  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial