quinta-feira, 18 de outubro de 2007

HÁ COMBATES QUE VALE A PENA TRAVAR...

Porque o flagelo da pobreza e da exclusão social afecta todo o Ser Humanista, directa ou indirectamente, deixo neste espaço de partilha um artigo publicado num dos nossos jornais nacionais, na esperança de que, efectivamente, a União Europeia que todos contruímos se transforme num verdadeiro marco de coesão e integração social e não num marco de cariz exclusivamente económico.
Em Portugal, uma em cada cinco pessoas vive em situação de pobreza.
Construamos todos um mundo mais fraterno e solidário.
" Sem-abrigo e bairros de lata fazem parte da paisagem urbana das grandes cidades do chamado mundo desenvolvido, mostrando que não só nos países pobres há pessoas pobres.
Nos países ricos, pode haver mais ajuda (do Estado, mas especialmente da sociedade civil) para quem precisa, mas continua a haver gente a viver em situação de extrema carência.
O crescimento económico tem trazido consigo desigualdades sociais, derivadas de uma repartição da riqueza assimétrica.
Por exemplo, nos Estados Unidos, um em cada dez cidadãos vive abaixo do limiar da pobreza fixados pelas autoridades.
Na Europa, Portugal possui dos valores mais altos nos indicadores de pobreza e assimetria de rendimentos. E tem 40 por cento de pobres activos, o que revela que não basta ter trabalho para deixar de ser pobre.
Ontem, a presidência portuguesa da União Europeia deu um sinal de que a pobreza e a exclusão social têm de estar na agenda política.
Na mesa-redonda europeia dedicada a debater aqueles dois problemas, que decorre até quarta-feira na ilha de São Miguel, nos Açores, Portugal propôs a criação de "um espaço de encontro ao nível ministerial" no próximo fórum, que já decorrerá sob a presidência francesa.
O ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, Vieira da Silva, sublinhou, em declarações à Lusa, que é preciso "valorizar estas matérias, dar maior articulação ao mais alto nível político".
Sublinhando que a abordagem da inclusão activa, tal como está a ser desenvolvida pela Comissão Europeia, é de "grande utilidade", Vieira da Silva defendeu a construção de estratégias integradas e assentes em três pilares: rendimentos mínimos, aproximação ao mercado de trabalho e serviços sociais.
São necessárias "abordagens não parcelares", para se "atingir resultados no plano dos diferentes domínios e no plano global", disse o ministro, realçando que desligar a pobreza e a exclusão social do "núcleo duro dos instrumentos de desenvolvimento económico e social é um erro".
Fonte: Público
Data: 17-10-2007
Autor: Sofia Branco
Tema: Acção Social

10 Comentários:

Blogger lucia duarte disse...

finalmente este problema vai fazer parte da agenda politica.
mas a miséria não está só nas ruas. Infelizmente, temos muita pobreza e muitas dificuldades escondidas nas familias europeias.

19 de outubro de 2007 às 08:23  
Blogger Meg disse...

Na rua, ao nosso lado, todos os dias, actuemos como cidadãos conscientes, exerçamos a solidariedade e o respeito para com aqueles que nada têm.
Cada um de nós.
Beijinhos, Maria Faia!

19 de outubro de 2007 às 21:32  
Blogger Victor Nogueira disse...

Olá, Faia Maria
Vim agradecer e retribuir os teus votos de bom fim de semana e a tua amizade,
Sobre o post, não são os senhores do mundo e suas marionetes que resolverão qualquer problema da pobreza, da fome, da miséria! Os deserdados da sorte é que têm de agarrar o poder com as suas mãos e correr com os causadores da sua situação, que são tb sábios de milénios na divisão e alienação de quem exploram.
Bjo
VM

19 de outubro de 2007 às 22:42  
Blogger O Guardião disse...

Ver o problema fazer parte da agenda política não me sossega. A pressão dos cidadãos e o seu envolvimento em acções de voluntariado continua a ser essencial.
Cumps

19 de outubro de 2007 às 23:01  
Blogger Kalinka disse...

MARIA FAIA
Muito obrigado pela sua visita ao meu kalinka.
Convido a espreitar a letra G...

Desculpa, mas o comentário que deixo ao teu artigo é: que todos falam mas ninguém tem razão...os ricos, esses, safam-se sempre!!!

Bom fim de semana.

20 de outubro de 2007 às 02:26  
Blogger Freyja disse...

un tema tan real que no solo vive Portugal o mi pais, lo vive el mundo en general
la pobreza existe y estan real y hace sufrir
solo que los que gobiernan prometen muchas cosas y se les olvida la pobreza y el hambre
gastan los dineros del pais en estupideces y no ven la pobreza y como se vive con hambre
aca ves gente joven y ancianos, de todas las edades mendigando por la pobreza que viven y ademas por no tener posibilidades de trabajo tambien
y en general los gobiernos esconden la pobreza
gracias por tu bellas y hermosas palabras en el blog de Freyja, me llegaron al alma
tu compañia siempre es linda amiga
te dejo muchos cariños y que estes muy bien, un buen fin de semana
todo mi cariño y amistad para ti querida amiga
mil besitos


besos y sueños

20 de outubro de 2007 às 02:41  
Blogger Jose Gonçalves disse...

Maria Faia

Venho desejar-lhe um bom fim de semana.
Não faço comentário em relação à postagem porque por muito que diga, nada irá minorar o sofrimento daqueles que sentem na carne as dificuldades da vida.
Resta-me ir ajudando da forma que posso e sei.
Um abraço
José Gonçalves

20 de outubro de 2007 às 13:10  
Blogger elvira carvalho disse...

Tudo muito bem muito bonito, vamos a ver se sai daí alguma coisa ou se não passa como sempre de um ponto na agenda.
Um abraço bom fim de semana

20 de outubro de 2007 às 14:10  
Blogger Ludovicus Rex disse...

Sempre por um mundo mais Justo Fraterno e Solidário.

Kiss Amiga e Bom Fim de Semana

20 de outubro de 2007 às 16:47  
Blogger Maria disse...

Dois posts muito bons e muito bem fundamentados. Há combates que valem a pena travar. Boa chamada às armas, Maria Faia. Um beijo.

23 de outubro de 2007 às 10:50  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial