terça-feira, 29 de maio de 2007

IGUALDADE

(…) Combaterei pelo primado do Homem sobre o indivíduo - como do universal sobre o particular. Creio que o culto do universal exalta e liga as riquezas particulares - e funda a única ordem verdadeira, que é a da vida.
Uma árvore está em ordem, apesar das raízes que diferem dos ramos.
Creio que o culto do particular só leva à morte - porque funda a ordem na semelhança. Confunde a unidade do Ser com a identidade das suas partes. E devasta a catedral para alinhar pedras.
Combaterei, pois, todo aquele que pretenda impor um costume particular aos outros costumes, um povo aos outros povos, uma raça às outras raças, um pensamento aos outros pensamentos (…)
Antoine de Saint-Exupéry, in 'Piloto de Guerra'

22 Comentários:

Blogger Ludovicus Rex disse...

Valores humanistas bem presentes e actuais os de Saint-Exupéry. Combatamos... e procuremos um significado para a humanidade...
Amei esta passagem, boa reflexão.

--
Um Grande Kiss

29 de maio de 2007 às 21:20  
Blogger MariaFaia disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

29 de maio de 2007 às 21:51  
Blogger MariaFaia disse...

Viva Ludovicus,

Antoine de Saint-Exupéry foi, de acordo com o que me é dado conhecer, um verdadeiro Humanista. Foi, oficialmente contra o governo nazi e muito activo na Resistência Francesa.
Morreu em defesa da Humanidade contra a tirania nazi, em defesa da liberdade.
São dele as palavras: " Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos."
Aprendamos todos a ver bem com o coração….

Beijo Amigo para ti.

29 de maio de 2007 às 21:53  
Anonymous XRéis disse...

Não me lembro muito bem onde li , mas sei que foi numa refexão sobre o Pequeno Principe, Numa carta encontrada na sala de Antoine depois que seu avião desapareceu, ele tinha escrito o seguinte:

"Eu não me preocupo se eu morrer na guerra (...) Mas se eu voltar vivo desse 'trabalho' ingrato, mas necessário, haverá apenas uma questão para mim: O que dizer da humanidade? O que dizer para a humanidade?"

29 de maio de 2007 às 22:20  
Blogger MariaFaia disse...

Que bom ver-te XReis,

Na verdade, o "Pequeno Príncipe" é das obras mais conhecidas de Saint-Exupéry. Foi uma obra proibida em França durante a ocupação nazi.
O Humanismo sempre fez mossa aos ditadores...

Beijinho para ti.

29 de maio de 2007 às 22:35  
Blogger Mário Margaride disse...

O humanismo:está inerente ao ser humano por definição.
O problema: está na perversão desses valores de humanismo por parte de alguns desses mesmos seres humanos. Pela ganância, pela vontade de submeter o seu semelhante, às maiores atrocidades. Como fome, racismo, desprezo, miséria, morte...
Que por consequência se auto-destroem, enquanto seres humanos.
O que não deixa de ser paradoxal!

Esperemos num futuro próximo, que esta tendência seja invertida.

Belo tema de reflexão Maria!

Grande beijinho para ti

31 de maio de 2007 às 02:33  
Blogger Jose Gonçalves disse...

Olá mariafaia

Ser homem é ser responsável. É sentir que colaboro na construção do mundo.

A mim basta-me sentir-me homem para perceber que missão tenho nesse mundo.

As palavras de Saint-Exupéry: "Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos", estou muito de acordo com elas mas também acrescentou noutra ocasião que: nas horas graves os olhos ficam cegos.

A diferença está na vontade de querer ver... ou não. E eu vou querer ver.

Um abraço

José Gonçalves

31 de maio de 2007 às 15:04  
Blogger MariaFaia disse...

Olá Amigo Mário,

Seria bom que todos assim pensássemos e dessa forma agíssemos: humanismo inerente ao ser humano...
Mas, infelizmente, nem sempre assim é. Á frente do humanismo vêm, não raras vezes, interesses individuais (fama, glória, poder, prestígio...) ou até de grupo, mas que nada têm a ver com o fortalecimento da cultura humanista. É o caso dos intereses económicos fortemente instalados e centrados no senhor absoluto chamado lucro...
Mas, mesmo assim, ainda acredito que, se todos dermos as mãos, é possível inverter o sentido de marcha.
É preciso que todos saibamos pedir perdão, a nós próprios e à humanidade...porque, nenhum de nós é perfeito e, como tal, todos erramos, em maior ou em menor medida e, por vezes, estamos tão centrados no nosso próprio ego, interesse e/ou orgulho, que nem nos apercebemos da devastação que deixamos em nosso redor...

Beijo Amigo

31 de maio de 2007 às 21:50  
Blogger MariaFaia disse...

Querido Amigo José Gonçalves,

Ser Homem DEVIA SER... responsável.
Mas, nós sabemos que, nem sempre assim é.
O que podemos e devemos fazer é esforçarmo-nos por ser responsáveis, assumindo as nossas debilidades e aprendendo com elas.

Beijo Amigo

31 de maio de 2007 às 21:53  
Blogger o guardião disse...

Que bom seria que os nossos governantes tivessem tempo e vontade de ler, sempre podiam relembrar alguns bons princípios de que parecem esquecidos.
Abraço

1 de junho de 2007 às 00:31  
Blogger Luís Galego disse...

Combaterei, pois, todo aquele que pretenda impor um costume particular aos outros costumes

nunca demais lembrar o respeito pelo o outro, pela diferença...infelizmente ainda temos que evoluir muito como civilização!!!

1 de junho de 2007 às 14:12  
Blogger o alquimista disse...

São sete as luas que regem a magia, o encanto, sete vezes se abre a alma para deixar sair o pranto. Sete serão as palavras que soltam a magia no tempo, sete são, as sinceras lágrimas, soltas em árido campo…

Bom fim de semana

Doce beijo

1 de junho de 2007 às 16:13  
Blogger MariaFaia disse...

É verdade Guardião,

O tempo que os nossos governantes e políticos perdem a degladiar-se uns aos outros, seria bem melhor empregue se fosse aplicado no estudo da melhoria das condições de vida, aculturação e de cidadania dos governados.

Beijo

2 de junho de 2007 às 00:50  
Blogger MariaFaia disse...

Olá Luis,

Era bom que todos pensássemos assim - que todos soubéssemos que ainda temos que evoluir muito como civilização!!!
Todos sem excepção, e principalmente aqueles que se julgam melhores que quaisquer outros.

Beijo

2 de junho de 2007 às 00:52  
Blogger MariaFaia disse...

Viva Alquimista,

Fiquei sem palavras para resposta ao teu comentário.
Sete é magia...
procura...
A doçura fugiu pela porta aberta,
e a procura continua... até a porta de saída ser desventrada...

Bom Fim de Semana

2 de junho de 2007 às 00:57  
Blogger A. João Soares disse...

A igualdade é artificial. É uma peça da indústria, do fabrico em série, da massificação, da lavagem ao cérebro levada a cabo pelas ditaduras. A individualidade, o cada ser é igual a si próprio é lei da natureza.
A religião, ao propor o amor aos outros, aceitava a individualidade, os seres diferentes, os outros.
Ser Humano é respeitar os outros, com as suas qualidades e defeitos, é tolerância, é respeito pela liberdade de expressão daqueles que pensam o contrário de nós.

Um braço

2 de junho de 2007 às 12:38  
Blogger MariaFaia disse...

Viva João Soares,

Igualdade pode, na verdade, ser um artifício. Mas, teremos sempre que a contextualizar.
Este é um conceito que não pode interpretar-se, rigorosamente, à letra. Veja-se o caso da igualdade de oportunidades. Perante a lei ela existe de facto, e de direito. Mas, na prática pode haver tarefas que uns fazem e que outros não consigam fazer, pelas sua própria natureza ou características. Mas, o princípio da igualdade não fica posto em causa... Não será assim?...
E, aqui entra a individualidade...

Beijo

2 de junho de 2007 às 13:36  
Anonymous aramis disse...

Quando leio alguma coisa do A.S.Exupery, por vezes engulo em seco...
É tudo tão certeiro, tão directo à nossa alma!
Dele também:

" Não tens aniversário porque sempre viveste;
nunca nasceste e nunca morrerás. Não és a filha daqueles a quem chamas mãe e pai, és o seu companheiro de aventuras na maravilhosa viagem de descoberta de tudo o que existe."

Tirado do livro "Não há longe nem
distancia"

Beijos Mariafaia.
Aramis

2 de junho de 2007 às 16:43  
Blogger MariaFaia disse...

Adorei Aramis,

Vejo que entende como me sinto...
A expressão "Não há longe nem distância" ficou-me gravada na memória há já alguns anos e, quem me conhece bem, já a ouviu muitas vezes.

Beijo para si

2 de junho de 2007 às 20:18  
Blogger Antonio Delgado disse...

querida MariaFaia, de facto estes valores deveriam de ser o nosso modus vivendis e não o nosso desejo ou utopia. Num mundo carente de humanismo recordar algum é sempre um acto contrição que a todos nós diz respeito.

bjs.
Antonio

3 de junho de 2007 às 01:37  
Blogger MariaFaia disse...

Olá António,

Concordo inteiramente contigo.
Na verdade, nenhum de nós é perfeito e, de quando em vez, mesmo sem intenção, "abalrroamos" este princípio fundamental que deve ser um dos pilares mais fortes do mundo que todos queremos pacífico e solidário.

Um Bom Domingo para ti.

3 de junho de 2007 às 02:39  
Blogger Antonio Delgado disse...

mas mesmo quando falamos de igualdade isso é pura fantasia. Já reparas-te que a propria natureza não nos proprociona essa igualdade?

Bom domingo também para ti.

3 de junho de 2007 às 05:18  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial