sábado, 11 de julho de 2009

O CARRO E OS CORNOS...

" Manuel Pinho foi o motor da revolução eléctrica – decisiva para a diminuição do aquecimento global.
Conheci o ministro Manuel Pinho no início da semana passada. Fiz parte do grupo das primeiras vinte câmaras que assinaram com o Governo o protocolo de arranque da rede eléctrica de apoio aos novos automóveis, amigos do ambiente, que estão a chegar.
Fez um discurso brilhante, integrado na apresentação dos primeiros modelos da viatura.
Pelo que ouvi, e vi, revelado por construtores e técnicos, aquela segunda-feira foi o primeiro dia de uma nova Idade.
A revolução que o Governo desenvolveu no âmbito das energias renováveis vai, a partir de 2011, ano em que vai começar a massificação do carro eléctrico, modificar por completo a mobilidade e a qualidade de vida das cidades.
Ainda fiquei mais surpreendido por Portugal ser o país de vanguarda, a nível mundial, nesta área de protecção ambiental e não tenho a mínima dúvida que naquela segunda-feira o Governo e as câmaras ali representadas começaram a escrever a parte mais empolgante da nova história do século XXI: o início da caminhada decisiva para a diminuição do aquecimento global, da desertificação, da poluição e rejuvenescimento do planeta.
A comunicação social deu ao assunto menos importância do que à transferência de um jogador banal e muito menos do que à morte do Michael Jackson. Pouco importa.
Naquela segunda-feira, no Pavilhão de Portugal, o Governo de Sócrates assinou a sua entrada para a História. E o motor dessa revolução eléctrica foi Manuel Pinho.
Foi com emoção que o cumprimentei e agradeci.Mal o conhecia e conheço. Apenas por leituras apressadas de historietas sobre o seu comportamento atípico.
Cinco dias depois, respondendo a uma falsidade que lhe era imputada por um deputado comunista, lá tornou a ser atípico, e no calor da discussão enviou-lhe um par de cornos. Fez mal. Os cornos não se enviam daquela maneira.
Não sei se a Assembleia da República celebrou o contributo de Portugal para este esforço mundial, que vai dos Estados Unidos à China, para a diminuição das emissões do dióxido de carbono.
Mas celebrou com forte chiadeira o par de cornos.
Está certo.
Conclui-se que os nossos deputados sabem muito, e ofendem-se com razão, de cornos e encornanços e pouco lhes interessa a revolução ambiental que vai modificar o País.
Um dia, quando a sensatez chegar, quando a nossa frota automóvel estiver pejada de carros eléctricos sem ruído e sem emitir gases tóxicos, saber-se-á que foi um senhor chamado Manuel Pinho, o grande propulsor da nova era.
Despedido com justa causa porque enviou um par de cornos a uma criatura qualquer."
Autor:
Francisco Moita Flores, Professor Universitário

19 Comentários:

Blogger Maria disse...

Este texto pode tornar-se uma vergonha para quem o escreveu (se é que não o é já)...

Um beijo, Maria Faia

11 de julho de 2009 às 15:50  
Blogger Agulheta disse...

Olá amiga!Sei que por vezes não é fácil lidar com a pressão imposta? e neste dia aconteceu,o que já poderia ter acontecido,agora temos de lhe dar o mérito,o problema do aquecimento global,vai afectar muita gente não é uma palavra vã...quando alguém parar para pensar,se dará a razão.
Beijinho bfs

11 de julho de 2009 às 18:48  
Blogger Dr. Mento disse...

Se o Moita Flores soubesse do que fala, saberia que os carros eléctricos já existem há muito tempo e que foram comercializados, pela primeira vez, em Portugal, no ano de... 1992. Era um Kewet, um city-car fabricado na Noruega (ou na Dinamarca, já não me lembro).

Se Moita Flores soubesse do que fala, saberia que os carros eléctricos ainda não têm autonomia suficiente para mais do que algumas deslocações urbanas (salvo raras excepções).

Se Moita Flores soubesse do que fala, saberia que, em 2011, não teremos carros eléctricos a rodos, mas sim híbridos, agora já na variante plug-in (ou seja, cujos motores eléctricos podem ser carregados numa tomada, ao invés de serem alimentados apenas pela energia libertada durante as travagens).

Se Moita Flores soubesse do que fala, saberia que Portugal não está na linha da frente dos automóveis eléctricos, até porque nem sequer tem um único construtor de grande produção e que, no campo dos híbridos, as únicas opções disponíveis no mercado estão nos catálogos de marcas japonesas.

Se Moita Flores soubesse do que fala, saberia que as redes de tomadas urbanas para alinetação de automóveis (e, sobretudo, de motos) eléctricos já existem em muitas cidades e, apesar de a medida ser louvável, não é inédita.

Se Moita Flores soubesse do que fala, saberia que o projecto que Manuel Pinho e José Sócrates anunciaram refere-se a uma fábrica de baterias, que irá fornecer os futuros automóveis eléctricos da Nissan (e, desconfio, também da casa-mãe, a Renault). Mesmo essa fábrica não está garantida, sendo Portugal um dos países possíveis para a sua instalação.

Em suma, Moita Flores fez grande alarido com uma coisa que não percebeu minimamente.

12 de julho de 2009 às 02:28  
Blogger SILÊNCIO CULPADO disse...

Maria Faia


Moita Flores perdeu uma optima oportunidade de estar calado. O Dr. Mento foi suficientemente elucidativo no seu comentário.

Quanto a Manuel Pinho acho que ele merece um prémio que o deixe na História como o rei do disparate. Desde dizer aos empresários chineses para investirem em Portugal que cá a mão-de-obra é barata (mesmo em comparação com a chinesa?), até dizer que ia a Itália compra uns sapatos Prada por 600 euros tendo nós uma indústria de calçado de qualidade e que está nas lonas, até desrespeitar um orgão de soberania como a AR, tem valido de tudo.
Moita Flores que esteja calado e isto com todo o respeito que (ainda) me merece.

Abraço

12 de julho de 2009 às 23:10  
Blogger O Puma disse...

O Moita Flores

nunca viu um carro eletrico

na feira de Santarém?

Terá de investigar

13 de julho de 2009 às 19:37  
Blogger Bipede Implume disse...

Querida Maria Faia
Concordo que muitas pessoas não sabem do que falam. E que, de facto, se fala demais de coisas que não interessam. É assim o ser humano na sua diversidade.
Mas o lado positivo disto tudo é que vivemos em democracia e exactamente por isso, se pode exprimir uma opinião.
Muito obrigada pelas palavras amigas. Tudo de bom para ti minha amiga.
Beijinhos.

14 de julho de 2009 às 02:07  
Blogger elvira carvalho disse...

Parece-me que o Moita Flores deveria fazer melhor os trabalhos de casa.
Para não encher um artigo de asneiras que o equipararam ao Ministro dos cornos.
Um abraço e tudo de bom

14 de julho de 2009 às 14:30  
Blogger São disse...

Pinho ultapassou todas as normas e isso não poderia ficar impune.

Pena é que o deputado que disse um palavrão irreproduzível alto e bom som na mesma Assembleia não tivesse sido também tratado como merecia.

Um abraço.

15 de julho de 2009 às 12:56  
Blogger aramis disse...

Amiga Maria Faia, não sabias que o Moita está já a algum empo a sofrer de "demencia"????
Muitos beijinhos,

Acredita que não tenho tido mesmo tempo de actualizar o blog, mas assm que isto acalme, é a primeira coisa que faço. Darei logo um toque para veres...
(O meu pai começou a fazer quimioterapia na 3ªF passada e em casa. Como deves de calcular, além do tempo que tempo de ter para a minha mãe, tenho de estar muito atenta agora tambem com ele. Mas Deus é grande e tudo se vai passando. O unico bocadinho é a esta hora, mas que já estou um bocado cansada como podes calcular. É que a minha vida deu 1 volta de 360*....

17 de julho de 2009 às 01:17  
Blogger Meg disse...

Maria,

Estive um tempo sem pc e tenho andado enterrada em trabalho, mas pelo que acabo de ler aqui, parece-me que o sr. Moita Flores tem uma tendência anormal e patológica para "aparecer"...
Feitios, Maria Faia!!!

Por hoje, desejo-te um bom fim de semana.

Um beijo

17 de julho de 2009 às 17:11  
Blogger gaivota disse...

vizinha.... são coisas dos dias de hoje!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
beijinhos

17 de julho de 2009 às 23:59  
Blogger comme des habitudes disse...

olá desculpa a invasão belo espaço tou procura a de blogs interessantes. achei o seu ótimo!!!
abraços.. se quiser pode me seguir..

leandro cardoso.

18 de julho de 2009 às 04:09  
Blogger poetaeusou . . . disse...

*
oh, meu amigo
Prof. Moita Flores,
passou-se ?
logo aquele Ministro,
que conseguiu decretar o fim
da Crise antes da mesma ter
começado . . .
Vanguarda Mundial ?
,
de positivo, para ele,
foi, TALVEZ, uma célebre
Escola, agora "condominizada"...
,
Professor,
Eu sei que é uma Pessoa vertical,
Integra na acepção da palavra,
porém,
tenha cuidado, que alguns amigos
meus, Scalabitanos, pensam que
foi um mero piscar de olhos,
com efeitos eleitorais, será ?
,
desculpa o abuso, Maria Faia,
,
brisas Nazarenas, deixo,
,
*

18 de julho de 2009 às 13:10  
Blogger aramis disse...

Amiga dá uma espreitadela no "aramis"....
Beijos muitos e aos molhos como o alecrim!

21 de julho de 2009 às 01:09  
Blogger De Amor e de Terra disse...

Minha querida, obrigada pelas palavras lá em casa.
Tenho andada (muito) em tnta coisa para a minha provecta idade, que de vez em quando desapareço.
Voltarei para te ler, como mereces.
Entretanto, beijos

Maria Mamede

23 de julho de 2009 às 08:34  
Blogger São disse...

bom fim de semana, linda.

25 de julho de 2009 às 01:26  
Blogger Mocho Falante disse...

o nosso Moita Flores no seu melhor...este homem fala de tudo pá, chiça, mas haverá alguma coisa que ele não consiga opinar ????

Bom fim de semana

25 de julho de 2009 às 13:39  
Blogger tulipa disse...

PARABÉNS, muitos Parabéns pelos prémios que recebes, todos eles são merecidos.
Já eu...não sei se serei merecedora do prémio que ofereces, gostaria da tua opinião, caso seja, levá-lo-ei com toda a estima e gratidão.

A 1-Maio deste ano, deixaste este comentário no meu blog:
Neste dia cuja beleza se encontra emsobrada pelos fantasmas do desemprego...Maria Faia

Pois, bateu à minha porta sim, esta 6ª feira m/marido recebeu a carta do desemprego, para apresentar amanhã no Centro de Emprego...um mal nunca vem só!!!
Eu em convalescença de uma pneumonia, em casa, de repouso absoluto e agora ele...

Beijos meus.

26 de julho de 2009 às 11:36  
Blogger SILÊNCIO CULPADO disse...

Maria Faia

Uma boa semana para ti.


Abraço

26 de julho de 2009 às 19:44  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial