domingo, 1 de agosto de 2010

AURORA BOREAL

Tenho quarenta janelas
nas paredes do meu quarto.
Sem vidros nem bambinelas
posso ver através delas
o mundo em que me reparto.
Por uma entra a luz do Sol,
por outra a luz do luar,
por outra a luz das estrelas
que andam no céu a rolar.
Por esta entra a Via Láctea
como um vapor de algodão,
por aquela a luz dos homens,
pela outra a escuridão.
Pela maior entra o espanto,
pela menor a certeza,
pela da frente a beleza
que inunda de canto a canto.
Pela quadrada entra a esperança
de quatro lados iguais,
quatro arestas, quatro vértices,
quatro pontos cardeais.
Pela redonda entra o sonho,
que as vigias são redondas,
e o sonho afaga e embala
à semelhança das ondas.
Por além entra a tristeza,
por aquela entra a saudade,
e o desejo, e a humildade,
e o silêncio, e a surpresa,
e o amor dos homens, e o tédio,
e o medo, e a melancolia,
e essa fome sem remédio
a que se chama poesia,
e a inocência, e a bondade,
e a dor própria, e a dor alheia,
e a paixão que se incendeia,
e a viuvez, e a piedade,
e o grande pássaro branco,
e o grande pássaro negro
que se olham obliquamente,
arrepiados de medo,
todos os risos e choros,
todas as fomes e sedes,
tudo alonga a sua sombra
nas minhas quatro paredes.
Oh janelas do meu quarto,
quem vos pudesse rasgar!
Com tanta janela aberta
falta-me a luz e o ar.
Autor: António Gedeão

12 Comentários:

Blogger O Guardião disse...

Um bom regresso com António Gedeão, um dos meus preferidos.
Cumps

4 de agosto de 2010 às 18:46  
Blogger Lilá(s) disse...

A minha adolescencia foi marcada pela paixão á leitura de António Gedeão.
Bjs

10 de agosto de 2010 às 18:18  
Blogger Zé Povinho disse...

Um poema dum cientista inspirado.
Abraço do Zé.

12 de agosto de 2010 às 09:09  
Blogger Multiolhares disse...

tanto temos dentro de nós tantos sentimentos, tantas emoções
Bj

21 de agosto de 2010 às 14:26  
Blogger gaivota disse...

e eu também! por vezes, não há janelas que cheguem...
falta o ar!
beijinhos

29 de agosto de 2010 às 12:43  
Blogger São disse...

Quando regressas?

Gosto do poema, mas gosto mais de ti.

Bom fim de semana.

11 de setembro de 2010 às 09:44  
Blogger Sofia disse...

Oi, anjo!

Acho que você gostará desta novidade: o livro ‘VIDA: Já perdoei erros quase imperdoáveis’ já está nas livrarias de Portugal!

Estou deixando o link do vídeo do livro para você ver depois no you tube. Está muito bonito!

http://www.youtube.com/watch?v=UmgROzFwzcA

Beijinhos...

19 de setembro de 2010 às 07:15  
Anonymous Karina & Nando disse...

olá... seu blog eh muito bonito e de muito bom gosto...
faça uma visita ao meu e clique no botao seguir... boa tarde!

5 de novembro de 2010 às 14:01  
Blogger Bipede Implume disse...

Querida Maria Faia
Nesta altura do ano, lembramos sempre quem queremos bem e por isso venho desejar um Feliz Natal com muita paz e compreensão.
Beijinho de amizade
Isabel

18 de dezembro de 2010 às 18:41  
Blogger elvira carvalho disse...

Gedeão é um dos meus poetas preferidos.
Um abraço e bom ano.

13 de janeiro de 2011 às 20:20  
Blogger São disse...

Minha querida, que bom foi ler-te lá em casa!

Agradeço-te os votos, que retribuo num apertado abraço.

Espero que regresses depresa, rrss


Ah, admiro muito Gedeão.

16 de janeiro de 2011 às 19:29  
Blogger Agulheta disse...

Querida amiga.Que bela surpressa nesta tarde,a visita desta amiga,foi muito bom e espero que ela volte depressa,realmente estes espaços ficam sem vida quando os amigos não estão presentes.Obrigada pela visita e palavras no blog.Gedeão sempre lindo de ler
Beijinho

16 de janeiro de 2011 às 19:47  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial