quarta-feira, 25 de julho de 2007

MOMENTO DE POESIA

"Encontrei uma preta
que estava a chorar,
pedi-lhe uma lágrima
para a analisar.
Recolhi a lágrima
com todo o cuidado
num tubo de ensaio
bem esterelizado.
Olhei-a de um lado.
do outro e de frente:
tinha um ar de gota
muito transparente.
Mandei vir os ácidos,
as bases e os sais,
as drogas usadas
em casos que tais.
Ensaiei a frio,
experimentei ao lume,
de todas as vezes
deu-me o que é costume:
nem sinais de negro,
nem vestígios de ódio.
Água (quase tudo)
e cloreto de sódio."
Hino à IGUALDADE de:
(António Gedeão)

21 Comentários:

Blogger Ludovicus Rex disse...

Uma Grande escolha Maria, relembrar aqui O Grande Mestre, António Gedeão.
Grande Kiss

25 de julho de 2007 às 00:51  
Blogger Carminda Pinho disse...

Subscrevo o que disse o Ludo. Só acrescento que cantada pelo Adriano é ainda mais bonito este "Hino à IGUALDADE".
:) Bjs

25 de julho de 2007 às 02:46  
Blogger avelaneiraflorida disse...

Aprendi , de miúda, este poema!!!!
Ainda hoje me parece tão belo e tão generoso...

Um verdadeiro HINO à IGUALDADE, de facto!

Bjks

25 de julho de 2007 às 07:56  
Blogger "o moço da bodega" disse...

Que coisa mais linda esse poema. Infelizmente aqui no brasil, após um século de abolição, ainda temos escravos pranteando nas fazendas, ainda temos escravos do racismo.

Abraços

25 de julho de 2007 às 11:10  
Blogger Luís Galego disse...

de facto o poema de gedeão diz em meia dúzia de linhas o que muitos tratados sobre igualdade não o conseguem fazer...recorro muitas vezes a esta lágrima de preta...

25 de julho de 2007 às 11:38  
Blogger MGomes disse...

E que MOMENTO, Maria. É um daqueles momentos de inspiração a que só os mais altos (como diria Florbela Espanca) tem acesso e o António Gedeão pertence a essa galeria dos grandes poetas da língua portuguesa.
Bjs

25 de julho de 2007 às 12:48  
Blogger Vieira Calado disse...

Feliz escolha.
Os poetas dizem sempre o que é verdade.
Bom resto de semana.

25 de julho de 2007 às 15:23  
Blogger Alexandre Pirata disse...

Olá Maria Faia,
Acabei de voar, pairar pela paz acolhedora deste lindo blog, pelos seus poemas, pelos seus hinos, e tambem pelos gritos silenciosos de revolta, acompanhado por uma música de embalar, adorei.
Agradeço o seu voo pela minha colmeia e as bonitas palavras que deixou!
Pela galeria de troféus, notei que o meu encanto, não é singular,....
Voltarei sempre!
Alexandre

25 de julho de 2007 às 15:31  
Blogger Alexandre Pirata disse...

Olá Maria Faia,
Acabei de voar, pairar pela paz acolhedora deste lindo blog, pelos seus poemas, pelos seus hinos, e tambem pelos gritos silenciosos de revolta, acompanhado por uma música de embalar, adorei.
Agradeço o seu voo pela minha colmeia e as bonitas palavras que deixou!
Pela galeria de troféus, notei que o meu encanto, não é singular,....
Voltarei sempre!
Alexandre

25 de julho de 2007 às 15:32  
Blogger Ludovicus Rex disse...

Mas olha que o festival vale a pena...
Seria diferente, humm

Kiss Grande Amiga

25 de julho de 2007 às 21:29  
Blogger Jose Gonçalves disse...

As lágrimas não têm cor.
José Gonçalves

25 de julho de 2007 às 21:44  
Blogger JG disse...

Gedeão devia ter nome de rua, de praça ou de jardim em todas as terras do nosso país. Também sei este poema de cor, desde garoto. Parece-me que foi espte poema o responsável por ter tido, durante toda a minha vida, uma paixão pela poesia e por quem a faz.

Obrigado pelo miminho.
Bj

26 de julho de 2007 às 00:07  
Blogger Victor Nogueira disse...

Olá
Nunca mais apareceste para saber do João Bimbelo ou do João Baptista Cansado da Guerra.
Até um dia, ao virar duma qualquer esquina do tempo.
Victor Manuel

26 de julho de 2007 às 00:43  
Blogger Meg disse...

Um poema que não tem idade, que fala por si, a que não me é possível acrescentar mais nada.
António Gedeão sempre.
Um abraço

26 de julho de 2007 às 01:07  
Blogger Sophiamar disse...

Sempre que o leio ou ouço cantar, comovo-me. António Gedeâo,Genial!
Que é isso de raça?Vou por ele!
Beijinhos

26 de julho de 2007 às 08:54  
Anonymous XRéis disse...

Este eu já sei decor...lindo e verdadeiro hino !!!
Beijinhos

26 de julho de 2007 às 10:59  
Blogger Sophiamar disse...

Por favor, passa pelo meu blog. Tens lá um desafio. Dar-lhe-ás o rumo que entenderes.
Beijinhos

26 de julho de 2007 às 16:32  
Anonymous aramis disse...

Olá Maria Faia,

Boa... este poema é muito bonito e profundo que chegue!
Já ontem cá passei mas não "deixei rasto".

A má "diferença" são os homens que a fazem e a boa "diferença", se existe, temos de saber viver com ela...
Tambem canto este "Hino à Igualdade".
Beijos

26 de julho de 2007 às 17:07  
Blogger Bichodeconta disse...

Parabéns amiga pela magnífica escolha , este poema encerra verdade e beleza.. Sempre me emociona por mais vezes que o leia, por mais que o cante.. HINO Á BELEZA DAS PALAVRAS.. A CERTEZA DE REGRESSAR AQUI.. Um beijinho Maria..

26 de julho de 2007 às 20:57  
Blogger A.S. disse...

Tão belo quanto oportuno este teu poema!


Um terno beijo...

27 de julho de 2007 às 22:21  
Blogger De Amor e de Terra disse...

Sempre me encantam os Poemas de A.Gedeão!
Coração e Lucidez, para além do Talento!


Beijos Amiga, por me (nos) relembrares!

Maria Mamede

29 de julho de 2007 às 09:14  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial